terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O desabafo de Daniel Alves e os princípios de Puyol


5 comentários:

Fer Miranda disse...

Caros, essa discussão me fez lembrar da imprensa brasileira reclamando que o Neymar faz muita firula em campo. Oras, mas de que é feito o futebol alegre e pouco burocrático? Achei bem chata a intervenção do Puyol contra a dancinha do Daniel Alves, o moço da aristocracia baiana. Não gosto do Daniel Alves, mas a repressão pública foi desnecessária e descabida. Não vamos mais fazer drible, não vamos mais comemorar gols. Vamos jogar como se fossemos homens da bolsa de valores. Não dá. E, Carles, o Puyol tá longe de ser um bom moço. Ou receber a rainha de toalhas é bom comportamento?!! Isso não cabe nesse perfil que você traçou... rss... Estou adorando as conversas... Um beijo.

Carles Martí disse...

Demasiado estereotipo para o meu gosto, Fernanda, homens da bolsa de valores de gravata e gel no cabelo, jogador de futebol alegre e fuzarca... assim mesmo é um prazer que você nos leia e comente. Beijo.

Carles Martí disse...

Outra coisa, Fer, você acha que a rainha deve ser recebida como? Eu me preocuparia se fosse ela a que não guardasse o protocolo para receber o homem que subiu até a estratosfera para fazer um golaço de cabeça (ou foi de orelha?) na Alemanha da Merkel. O "Puji" tem a minha permissão para receber a monarquia do jeito que ele decidir fazê-lo. Já o Rajoy...

Fer Miranda disse...

Quanto à rainha, foi apenas uma brincadeira, mas lamento que vc ache que o futebol pode ser burocrático. Eu não. Mesmo assim, vou continuar lendo vocês. Abraços

Jorge Ramiro disse...

Eu acho que Dani Alves é um dos melhores jogadores do mundo. Tive a oportunidade de conhecê-lo quando ele viajou para Pinheiros.